quarta-feira, 25 de novembro de 2009

CANTIGA AO REDOR DO TEU SEIO

teu seio cheio
assim tocá-lo
nuvem de dedos
a anestesiá-lo

teu seio rubro
hábil, manoplá-lo :
ânsias de gestos
a amamentá-lo

teu seio amplo
em dádiva têlo
- cálice do corpo -
na boca inteiro

teu seio doce
- erógeno fruto -
pulsátil, bebê-lo
com milhões de zelo


____________________
(do livreto AMERICANTO AMAR AMÉRICA
& OUTROS POEMAS, Nordestal Editora, Recife, 1975)

Nenhum comentário:

Postar um comentário