domingo, 6 de maio de 2018

AMERICANTO AMAR AMÉRICA (Quarto Canto, São Paulo, 1972)







Americanto Amar América 
(poema escrito em São Paulo, 
1972, e publicado no Recife 
em 1975) 



(...) 
em todos os espetáculos 
em todas as feiras 
em todas as casas minha carne ardente  
espalhada sobre as estrelas & a gosma 
& os satélites & o câncer 
& os automóveis luxuosos & a carniça 
& os prazeres financiados & a merda 
dos estados unidos  




_________________________________________________
Página (34) reproduzida do livro
AMERICANTO AMAR AMÉRICA 
E OUTROS POEMAS DO SÉCULO 20 
- Juareiz Correya  
(Panamerica Nordestal Editora, Recife, PE, 2010) 

quarta-feira, 11 de abril de 2018

AMERICANTO AMAR AMÉRICA (Terceiro Canto, São Paulo, 1972)











América 
tua alegria me embebeda eu sou teu 
deus poeta incandescido no teu ventre 
teus olhos brilham poemas terríveis 
gaivotas criminosas de Ginsberg  
& me enfeitam & me enfeitam 
arcoiris de luas gigantescas 
empoeiradas nos ruídos das motocicletas 
& há tanta doçura na gasolina 
matando a sede na minha garganta 
& alucinógenos & lírios & violetas & roseiras 
& porres de cocaína & rolos de maconha 




_________________________________________________
Página (33) do livro AMERICANTO AMAR AMÉRICA 
E OUTROS POEMAS DO SÉCULO 20 
-  Juareiz Correya  
(Panamerica Nordestal Editora, Recife, PE, 2010) 




domingo, 4 de março de 2018

AMERICANTO AMAR AMÉRICA (Segundo Canto, São Paulo, 1972)






Americanto Amar América /
Segundo Canto 
(São Paulo, SP, 1972) 




América 
eu me dou com este corpo de criança 
que a tua febre come e joga 
para os céus dos chacais  
meu corpo virgem nas estradas 
que a tua volúpia rodopia  
além onde estão todas as promessas 
para que o meu gozo encha os mares 
& enterre todas as florestas 
com tempestades de espermatozóides  





_____________________________________________
Página (32) do livro AMERICANTO AMAR AMÉRICA  
E OUTROS POEMAS DO SÉCULO 20 
- Juareiz Correya - 
Panamerica Nordestal Editora, Recife, PE, 2010    

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

AMERICANTO AMAR AMÉRICA, poema de Juareiz Correya (São Paulo, 1972)








Primeiro canto / 
Poema escrito em São Paulo, SP, 1972
e publicado no Recife em 1975






América  
mulher de carnes cruas pregadas no meu peito  
como colunas de ventos colossais 
meus gritos são alegria de tambores 
& montanhas de plástico 
são doces campos de açúcar ....



________________________________________________
Página (31) do livro AMERICANTO AMAR AMÉRICA 
E OUTROS POEMAS DO SÉCULO 20 
- Juareiz Correya  - 
Panamerica Nordestal Editora, Recife, PE, 2010

domingo, 26 de novembro de 2017

AMERICANTO AMAR AMÉRICA & OUTROS POEMAS










AMERICANTO AMAR AMÉRICA 
&  OUTROS POEMAS 
(Capa do livreto e crédito editorial) 



........................................................................................................ 
Reprodução da capa (pag. 29) e do crédito editorial 
(página 30) do livreto AMERICANTO AMAR AMÉRICA 
& OUTROS POEMAS / 
Páginas do livro impresso 
AMERICANTO AMAR AMÉRICA 
& OUTROS POEMAS DO SÉCULO 20
- de Juareiz Correya  
(Panamerica Nordestal Editora, Recife, PE, 2010) 

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

POETAS DE PALMARES (1973) : "MODULO", de Juareiz Correya








Da antologia 
POETAS DE PALMARES (1973) 





____________________________________________ 
Página (27) reproduzida do livro impresso 
AMERICANTO AMAR AMÉRICA 
E OUTROS POEMAS DO SÉCULO 20 
- de Juareiz Correya  
(Panamerica Nordestal Editora, Recife, PE, 2010) 




domingo, 17 de setembro de 2017

POETAS DE PALMARES (1973) : "Poema sobre poucas palavras modificado", de Juareiz Correya







Da antologia 
POETAS DE PALMARES (1973) 



"...........................
conheço os limites, as possibilidades para encontrar  
o solo. são poucas 
como as chaves" 





________________________________________
Página (26) do livro impresso 
AMERICANTO AMAR AMÉRICA 
E OUTROS POEMAS DO SÉCULO 20, 
de Juaeiz Correya  
(Panamerica Nordestal Editora, Recife, PE, 2010)