domingo, 10 de março de 2019

AMERICANTO AMAR AMÉRICA (Nono Canto, São Paulo, 1972)












"América América doce América 
árvores & bichos pregados nos meus cabelos  
 como poros sexuais multiplicam-se 
  eu sou tua alegria teu corpo teu deus 
& tu me amas orgasmos de esperanças 
luzes tontas na íntima Amazônia 
como os trovões da minha voz 
& os ardentes sonhos paradisíacos 
& teu cansaço febril na minha boca 
       América América doce América"     
                   



________________________________________ 
Reprodução da página (39) do livro 
 AMERICANTO AMAR AMÉRICA 
E OUTROS POEMAS DO SÉCULO 20,
de Juareiz Correya  
(Panamerica Nordestal Editora, 
Recife, PE, 2010) 



Nenhum comentário:

Postar um comentário