quarta-feira, 25 de novembro de 2009

CANTIGA AO REDOR DO TEU SEIO

teu seio cheio
assim tocá-lo
nuvem de dedos
a anestesiá-lo

teu seio rubro
hábil, manoplá-lo :
ânsias de gestos
a amamentá-lo

teu seio amplo
em dádiva têlo
- cálice do corpo -
na boca inteiro

teu seio doce
- erógeno fruto -
pulsátil, bebê-lo
com milhões de zelo


____________________
(do livreto AMERICANTO AMAR AMÉRICA
& OUTROS POEMAS, Nordestal Editora, Recife, 1975)

sábado, 21 de novembro de 2009

_____________________________________

meus músculos se cobrem tensos
& frouxos eu quero um corpo sem nome
ao meu alcance & um púbis liso
no meu rosto as pernas firmes no solo aquático
vocês estão dentro de mim & entram
ainda por todos os meus poros mulheres coloridas
onde eu posso vibrar o chão se abre
& vocês me absorvem & os meus músculos
partidos estalam no ar
tuas pernas morenas Hilda como folhas

pelas minhas mãos chega o teu sexo
o sexo daquela mulher que tem voz para cama
Florinda Branca Hilda Marisa
com as pernas frágeis
abertas sobre os meus ombros
os peitos pequenos & tesos da menina do trem
pelas minhas mãos vocês me invadem & estragam
o meu sexo como fruto


_____________________________
(do livreto AMERICANTO AMAR AMÉRICA
& OUTROS POEMAS, Nordestal Editora,
Recife, 1975)

terça-feira, 17 de novembro de 2009

ORAÇÃO DE NARCISO

& se lambeu as mãos
se bebeu nos braços
se amassou no tórax
se fundiu no ventre
se partiu carícias
se sorveu sussuro
se escondeu escama
do corpo dentro de si.
& se ergueu do chão
se apartou dos laços
se estendeu, um touro
se abriu em dentes
se sortiu de notícias
da carne urrando urros
do corpo cheio de si.
& se escorreu então
se acendeu mormaço
se apossou no clímax
se partiu demente
se somou lascívias
do amor que ateia chamas
do corpo mesmo por si.

________________________
(do livreto AMERICANTO AMAR AMÉRICA
& OUTROS POEMAS, Nordestal Editora,
Recife, 1975)

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

AMERICANTO AMAR AMÉRICA (9)

América América doce América
árvores & bichos pregados nos meus cabelos
como poros sexuais multiplicam-se
eu sou tua alegria teu corpo teu deus
& tu me amas orgasmos de esperanças
luzes tontas na íntima Amazônia
como os trovões da minha voz
& os ardentes sonhos paradisíacos
& teu cansaço febril na minha boca
América América doce América


(São Paulo, 1972)
________________________________
Publicado no livreto AMERICANTO AMAR AMÉRICA,
Nordestal Editora, Recife, 1975.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

AMERICANTO AMAR AMÉRICA (8)

América América doce América
meu corpo te pertence flamejante e puro
nas tuas entranhas me divido
pasto para as tuas carnes vermelhas
minhas carícias são mágicos jardins edênicos
& brasílica brisa
incendiada teu ventre se abre chão partido
& me engole assim com a cólera de séculos
paulicéias suicidam-se angustiadas
nos escritórios & nas ruas com as cordas
dos próprios músculos antes do carnaval
& vítimas habituais ferem as suas dores
no mesmo lugar agreste de águas