sexta-feira, 21 de junho de 2013

PLENITUDE





Eu te pertenço como não me pertenço 
sempre sei o que sou em tuas mãos  
e gosto de ser assim o teu querer 
sono e sonho toda hora é teu prazer  
tudo sabe meu corpo e se renova  
e se amplia mais, a carne orientando, 
porque animas a vida como quem me cria, 
a tua posse me completa, perfeita harmonia  
de quem me inaugura em paz e alegria  



(Do livreto AMÉRICA INDIGNADA
Y POEMAS DA ALEGRIA DA VIDA
- Panamerica Produções / Nordestal Editora,
Recife, PE, 1991)


________________________________________________
Transcrito do livro AMERICANTO AMAR AMÉRICA 
E OUTROS POEMAS DO SÉCULO 20, de Juareiz Correya 
- Panamerica Nordestal Editora, Recife, PE, 2010