segunda-feira, 27 de julho de 2009

Catherine Deneuve (III)

Catherine eu me esforço e não te conheço
além do pouco espaço desta cama e tenho medo
e sinto frieza nos ossos quando os teus olhos
se afastam do meu corpo teus olhos Catherine
me inundam e me enfraquecem e exigem tantas vezes
o meu sexo que me impõem a sensação de que estou
aridamente seco estéril
sou eu Catherine que me arrasto sem forças
nos teus olhos e arrebento com fúria todas as coisas
com os teus olhos Catherine não é possível
que este quarto seja um quadro de solidão
com a tua presença Catherine não é possível
a câmera fecha-nos em círculos cada vez menores
e explora a cama e os nossos corpos Catherine
mas não é possível uma cena onde se respire solidão
com a tua presença Catherine com os teus olhos
Catherine em cima de mim na cama



( antologia Poetas de Palmares,
Editora Palmares, 1973)

Nenhum comentário:

Postar um comentário