domingo, 9 de janeiro de 2011

(SEM TÍTULO)



___________________________


estou triste porque não disse do amor
alegres palavras que alvoroçassem teu sangue
e te perdessem em nosso encontro.
estou triste e inútil, cansado pelas ruas
e becos e praças e grotas e grutas
deste lugar que enfeitei contigo
para te inaugurar e te fazer morada.
é uma tristeza sem álcool nos olhos
e sem olheiras, sem amargor e sem derrota
tristeza triste
contra a alegria de te ver.
serena em mim um rebanho de temores
pastando nesta noite de distâncias.
ninguém nos vê,nem sabe do nosso desamparo
e do carinho que não tratamos
quando estivemos juntos.
ninguém vê que não nos vemos
e que não sabemos de nada do que dissemos
e que não fazemos o que queremos.
esta tristeza cresce e me espanta
se estendendo sobre pontes e rios
como se pudesse te encontrar
e, onde estás, enterrar teu rosto em sombras
e teu coração em apertos


(do livro AMERICANTO AMAR AMÉRICA,
de Juareiz Correya, Nordestal Editora, Recife, 1982)


____________________________________________
Transcrito do livro AMERICANTO AMAR AMÉRICA
E OUTROS POEMAS DO SÉCULO 20, de Juareiz Correya
- Panamérica Nordestal Editora, Recife, PE, 2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário