domingo, 30 de janeiro de 2011

Sem Título ("a mulher agora é terrível")





a mulher agora é terrível
é terrível e esta palavra é pouca,
eu não sei como abarcar a grandeza
da miséria a que ela nos condena.
e antes,
e cedo mesmo quando esteve comigo
companheira e amiga
sua dor e sua solidão me cativaram
pelos dias em que historiamos a nossa sorte
vagos e plenos, em nós o universo.
eu quis lhe dar e lhe dei
os meus alvoroços e a minha calma
e o gosto que eu sempre tive
de me dizer seu.
ela me acolheu e me disse generosa
que me recebia e me queria
com a certeza de quem ia me receber
e me querer muito mais.
agora, o tempo não é de alegria
nem festa alguma existe em nossa volta
ou nos encontros que forçam os nossos passos.
existe em mim
uma dor e uma solidão que eu nunca tive
e a desgraça de vê-la terrível
como eu nunca vi.



(do livro AMERICANTO AMAR AMÉRICA,
de Juareiz Correya
- Nordestal Editora, Recife, 1982)


___________________________________________

Transcrito do livro AMERICANTO AMAR AMÉRICA
E OUTROS POEMAS DO SÉCULO 20, de Juareiz Correya
- Panamérica Nordestal Editora, Recife,Pe, 2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário