sexta-feira, 9 de março de 2012

REVISÃO DE HERMILO (*)

Os caminhos da solidão
pelo sol das almas iluminados
se estendem, começo do sem fim
à margem das lembranças
onde o Cavalheiro da Segunda Decadência passeia.
E sem medo ele abre
- boca do céu, fundo do inferno -
a porteira do mundo
para as alegrias e tristezas e assombros
d' o cavalo da noite
na mata dos homens.
Grave, solene e miserável
um deus no pasto se envenena azul.
Na hora certa, na hora-Agá
a vida é esta nudez.
O general está pintando
sete dias a cavalo
.
E agora vejam as meninas do sobrado
por onde somos,
além & aquém do Una
gloriosos e derrotados
os ambulantes de Deus.

____________________________________________
(*)Poema-colagem, onde se destacam, em negrito,
títulos dos livros de ficção
publicados por Hermilo Borba Filho.


(Da antologia POETAS DOS PALMARES, 2a. edição,
organizada por Juareiz Correya, publicação da
Fundarpe/Secretaria de Turismo, Cultura e Esportes/
Fundação Casa da Cultua Hermilo Borba Filho,
Recife/Palmares,PE, 1987)


__________________________________________________
Transcrito do livro AMERICANTO AMAR AMÉRICA
E OUTROS POEMAS DO SÉCULO 20, de Juareiz Correya.
- Panamerica Nordestal, Recife, PE, 2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário