domingo, 8 de maio de 2011

ANTILÍRICO

para Paulo Azevedo Chaves



que bicho devora tua cota diária ?
sem plumas, escamas, couro ou cabelos
que bicho é esse que tem uma boca medonha
em cada esquina ?
é dia e é noite quando ele ataca sem rastrear vestígios,
galopando nas terras selvagens
dos corações de só abandono.
não lhe dê luz, não lhe dê sombra,
não lhe dê um assovio companheiro ou uma hora cúmplice,
não lhe dê pão ou bosta,
ele vem com eterna fome, com eterna raiva,
ele não balança a cauda, nem uiva nos telhados,
nem espanta os animais domésticos.
com urros e patas de silêncio
ele golpeia sem sangue e dança nas bordas do sol
sua alegria funesta, guizos
de só solidão.



(do livro AMERICANTO AMAR AMÉRICA,
Juareiz Correya
- Nordestal Editora, Recife, PE, 1982)


___________________________
Transcrito do livro AMERICANTO AMAR AMÉRICA
E OUTROS POEMAS DO SÉCULO 20, Juareiz Correya
- Panamérica Nordestal, Recife, PE, 2010)

Nenhum comentário:

Postar um comentário