segunda-feira, 15 de novembro de 2010

SEM AMANHECER



amanhece.
mas eu sinto que não amanheço.


sombras amadurecem em meu rosto
e um cansaço eterno mora neste corpo
que eu pensei guardar
revivido para hoje.


amanhece agora
- a cidade está pronta para o dia que nasce
limpa e clara se instala a manhã
no coração dos homens que despertam,
sem sombras no rosto
e sem cansaço,
renascidos também.


amanhece.
só eu não vejo a luz e os caminhos.



(do livro AMERICANTO AMAR AMÉRICA,
de Juareiz Correya -
Nordestal Editora, Recife, 1982)


_______________________________________
Transcrito do livro AMERICANTO AMAR AMÉRICA
E OUTROS POEMAS DO SÉCULO 20,
de Juareiz Correya
- Panamérica Nordestal Editora, Recife, 2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário